2017 traz a promessa de boas surpresas, excelentes surpresas para enxotar a tristeza deste último e Robin Pecknold, juntamente com a sua banda de Seattle, vieram tranquilizar os corações mais inquietos. Desde 2011, ano que trouxe Helplessness Blues, o segundo registo de estúdio dos Fleet Foxes, que não se conheciam grandes novidades do quinteto. A banda, que se tornou num dos mais importantes nomes no mundo indie folk da actualidade, revelou recentemente a chegada de um novo disco.

“Quase pronto”, foi a resposta dos Fleet Foxes a um fã inquieto no Facebook. Os rumores tornaram-se mesmo em algo que será real muito em breve, embora alguns detalhes estejam ainda por confirmar. Certo é que vem aí um terceiro álbum que se prevê contar com onze faixas e o selo da Nonesuch Records e que levará o nome Ylajali na lombada. Ylajali traduz-se numa referência ao romance Hunger – Sult no original -, do escritor norueguês Knut Hamsun nascido no séc. XIX. Como é hábito dos Fleet Foxes, as capas dos seus discos sempre se distinguiram pela sua irreverência e elegância, e desta vez conta com uma imagem do fotógrafo japonês Hiroshi Hamaya.