Numa semana de eleição no que respeita a vídeos, o imaginário dos melhores dos últimos sete dias divide-se entre a luz e a sombra, o reencontro e a perdição, a crítica social e a observação da condição humana, a realidade, o metafísico e o emocional. Tudo isto com FKA twigs a dar um baile de dança num pequeno filme de Spike Jonze para rematar a questão. Os destaques vão para as duas obras de animação de Chad VanGaalen e Jon Hopkins. Tudo para ver em baixo.

Everything Everything – The Mariana

O futebol também é jogo para homens sensíveis e é precisamente isso que mostra a última narrativa visual dos Everything Everything para o seu novíssimo EP. “The Mariana”, um dos dois novos temas originais e dos poucos que vêem os britânicos num formato sonoro quase atmosférico, apresenta-se em imagens durante uma partida de futebol em câmara lenta. (artigo completo)

Wolf Alice – Sadboy

“Sadboy” dos Wolf Alice pertence àquele rol restrito de visualizações que consegue sugar qualquer alma mais desprevenida para um ambiente negro, atordoado, psicotrópico e alucinado. O vídeo para um dos temas do último álbum “Visions Of A Life” dos britânicos aperfeiçoa a arte de simular alguns dos efeitos de um estado de consciência alterado. (artigo completo)

Damien Jurado – Over Rainbows and Rainier

Quem já se tenha cruzado ao longo da sua vida – e da dele -, com as peças visuais de Damien Jurado para a sua música profundamente emocional, sabe que vêm anexadas a uma realização de excelência e a uma sucessão de imagens com belíssimos planos com o foco nos mais ínfimos detalhes, capazes de prender a atenção da mente mais distraída e dispersa. Nada menos que isso se poderia esperar do vídeo que apresenta o novo tema do norte-americano para o seu próximo disco e o resultado é, como sempre, encantador. (artigo completo)

Tricky – The Only Way (Stripped Down Tricky Mix) 

Depois de ter coberto Lisboa com uma miríade de tonalidades negras, Tricky volta a fazê-lo no vídeo para Stripped Down Tricky Mix de “The Only Way”. De sombras líquidas, imagens semi-desfocadas e envolta em névoas, a tradução visual para a versão atmosférica de uma das canções de Ununiform – álbum editado no ano passado -, vê a vida correr por entre minúsculas frechas de luz num mundo inteiro de escuridão. (artigo completo)

Anderson. Paak – Welcome Home 

Spike Jonze tirou um tempinho das longas-metragens que dirige por detrás das câmaras, e aventurou-se na realização de uma curta para um produto da marca Apple. O resultado foi Welcome Home, um vídeo marcado pela sua sensibilidade de tom surrealista que conta nada mais nada menos com FKA twigs de volta à sua corrente artística de eleição – a dança -, e conta uma narrativa coreografada ao longo do novo tema de Anderson. Paak. Não é um filme, mas é mesmo como se fosse. (artigo completo)

Jon Hopkins – Emerald Rush 

Não há outra forma de dizê-lo: esta é uma das canções do ano e este um vídeo para a vida. Jon Hopkins regressa e, 2018 aos discos e anuncia-o com “Emerald Rush”, um vídeo de genética digital que, paradoxalmente, faz qualquer entidade biológica regressar à origem e à orgânica primordial do ser. O vídeo que se lhe sobrepõe incita ainda mais a nivelação com as frequências naturais através de uma história em animação de um menino que se encontra num rota cíclica entre energias puras e poluídas. (artigo completo)

 

Chad VanGaalen – Host Body

Chad VanGaalen não se limita à arte de fazer canções, como também à arte de as animar em vídeo. Literalmente. O canadiano, que acumula o talento para a música e para a ilustração, lançou “Host Body” no ano passado no álbum Light Information e dá ao tema, seis meses depois de ter sido lançado, um conjunto de imagens alienígenas e psicadélicas que funcionam como uma crítica social. (artigo completo)