Banks tem produzido sempre temas que se posicionam algures entre a euforia e a ansiedade – os efeitos são próximos  -, mas com “Crowded Places”, o novo tema acabado de chegar ao público, não restam dúvidas de que o seu lado mais vulnerável veio para se afirmar em notas musicais e ecos vocais enquanto a sua característica mais gritante.

“Crowded Places” é uma das belíssimas supresas de 2017, que nos chega depois do brilhante The Altar, lançado o ano passado. A personalidade de Banks é transformada em músicas que permitem aos fãs o reconhecimento tanto nas letras como nas emoções, e isto ocorre em qualquer esquema sonoro, seja pela efervescência explosiva de “Gemini Feed”, por exemplo, ou no sussurro introspectivo de “Crowded Places”, um tema que lida com assuntos sérios tantas vezes colocados em patamares secundários.

Com produção de Tim Anderson, Banks entoa os seus receios profundos e o seu pavor de multidões e de lugares lotados de pessoas ainda que pareça contraditório, já que é artista e intérprete mas, na verdade, esta fobia é bastante mais comum do que se possa pensar. É, simultaneamente, uma canção de amor.

Não se sabe ainda com certeza em que contexto surge este novo single, mas é bem possível que lidere um projecto a surgir em breve. Certo é que Banks canta sempre com e para a alma, sua e de terceiros, e é esse o seu trunfo maior.