King Dude, o Messias Luciferiano, regressa a Portugal para assombrar os becos sujos, as vielas pejadas de sombras humanas perdidas, o chāo seboso de cerveja e cigarros que se escondem dentro das almas e corpos de quem nāo teme a obscuridade que serpenteia no mais íntimo de si.

O dark-folk de King Dude é habitado pelos seus próprios demónios pessoais, pela honestidade brutal e corrosiva com que aborda os impulsos mais básicos da palete humana, pela voz cavernosa com que hipnotiza a serpente do desejo. As pinceladas de blues e country que povoam a sua discografia, a sua postura de crooner maldito e charmoso, contam histórias de violência, de sonhos desamparados, de purgas emocionais quase pornográficas no modo como despe uma faceta de uma América que poucos gostam de revisitar.

Este discípulo de Lucifer descerá a terras lusas para iludir sentidos e pintar de cinzento monocromático e acústico o amor, o desejo, a dor e a angústia com o dedilhar da guitarra, o martelar sinuoso do piano e uma voz amadurecida a tabaco e ao melhor whisky.

King Dude apresenta-se a solo dia 1 no Hard Club no Porto, descendo até ao Sabotage em Lisboa a 2 e terminando dia 3 em mais um emblemático e especial Episódio Relâmpago da FadeIn em Leiria no Stereogun, ainda com o sucessor do último longa duração, Sex de 2016, escondido nas brumosas esquinas do tempo futuro.