Os britânicos Fink desde há muito que provaram ser uma entidade em constante mutação. Desde as iniciais deambulações por terrenos electrónicos até ao mais recente Hard Believer que se envolve em nuances mais rock e explora um lado mais hipnótico e de humores voláteis mas com os habituais climas sombrios, a banda continua a provar a facilidade com que se adapta ao ambiente musical que a rodeia. O rock chegou deixando o folk para trás nas gravações em Los Angeles e agora depois de alguns meses a viver em Berlin, Fin Greenall apresenta no final de Fevereiro um EP de remisturas para “Pilgrim” que não podia ter nascido em qualquer outro lado além da bela e brutal cidade alemã.

Colocando a canção nas mãos de Paula Temple, nome em fase ascendente em Berlin desde 2013 e DJ nos melhores clubes da cidade como o Tresor ou o Berghain, dos mestres Brandt Brauer Frick e na sua própria reinterpretação segundo Moda232, um regresso às suas origens electrónicas, Greenall apresenta um EP intenso, compulsivo e de ambiências pouco claras e cristalinas arriscando por vezes a tocar o desconforto psicótico sem perder o sentido à melodia e à beleza adjacente ao original que roça por vezes os momentos mais simples e tranquilos de OK Computer e The Bends dos meninos de Oxford que a gente sabe e não é preciso dizer o nome.

O vídeo realizado por Foley, lenda viva do skate, para “Pilgrim” foi revelado ontem e joga com a interacção das luzes e sombras tão características da capital alemã.

“From small beginnings come big endings”

alec peterson sig

 

Fink Pilgrim artwork