De laivos profundamente acutilantes e tendo por inspiração Carl Sagan e o seu Cosmos, os Box And The Twins – Marc, Mike e Box, naturais de Colónia, Alemanha -, contam já com dois EPs no cartório. A Below Zero e Our Fears, sucede agora Everywhere I Go Is Silence, o álbum de estreia que tem em “Pale Blue Dot” o tema a ter as honras de abertura. A banda canta a transcendência da existência humana e questiona, sobretudo, a pertinência da própria vida humana na Terra e se, de facto, somos os únicos habitantes neste universo tão incomensurável – qual será a dimensão da população humana quando vista à lupa de todas as galáxias? Seremos todos nós uma agulha num palheiro quase infinito?

We are all here drifting into the black
Right now life is ending
And right now new life begins

We are all here
We are all here only for a second
Right now a sunbeam on my skin
And artificial light on yours

O trio preza as melodias que cortam a respiração, entre sufocos sonoros e atmosferas inebriantes de ar rarefeito conforme somos encaminhados para uma exaustão imensa entre a metafísica e a poesia. De igual maneira, vamos recebendo cânticos que ressoam e fazem constante eco no nosso próprio ser num ricochete profundamente intenso. Entre padrões que podem, ou não, desaguar num colossal vazio, o que importa é que consigamos sobreviver neste ponto azul tão pálido que é o planeta em que nos encontramos. Como seria fácil viver sem questionar tudo o que nos rodeia.

As guitarras melancólicas enrolam-se ao pescoço de quem as assume como impróprias, e todo este dark side é complementado com as imagens do trio em ápices alucinantes, tendo cores e formas fluorescentes sobrepostas, e ainda o mar, as flores, as árvores, a montanha, o vento e a recordação desconfortável de que tudo é tão efémero e etéreo. Seja como for, é bom que agarremos o Outono e que com ele dancemos um slow.

A banda encontra-se agora em digressão pela Alemanha e Everywhere I Go Is Silence é lançado pela Manic Depression Records & Synth Religion já hoje. Atrevam-se.

We are all here drifting into the black
Right now there is love
Right now there is hate

Far out is our past
And far out is our future
Who will save us from ourselves?