A última vez que ouvimos falar de Dan Bejar foi em 2016, ano em que deixou como única marca o 12′ My Mistery apenas um mês antes da sua passagem pelo NOS Primavera Sound desse ano na cidade do Porto, pouco menos de um ano depois do último longa-duração do compositor canadiano com os Destroyer, Poison Season.

Em 2017, o silêncio em torno de música nova do classy combo de canções sóbrias perfeitamente talhadas para sonhos rurais em grandes metrópoles de gin ou martini na mão e com vista sobre as luzes nocturnas da imensidão citadina permanece em segredo, mas a ausência de Bejar da formação envolvida no último disco dos The New Pornographers e a confirmação por parte de Carl Newman que Dan estava em pleno processo de gravação de um disco dos Destroyer colocam-nos diante da possibilidade de 2017 ainda poder contar com o 12º álbum de uma carreira em 1996 com We’ll Build Them a Golden Bridge.

Isto aliado à confirmação dos Destroyer como mais uma das bandas a juntar-se ao alinhamento do Vodafone Mexefest que decorre nos próximos dias 24 e 25 de Novembro e onde podemos encontrar já Charles Bradley, Aldous Harding, Cigarettes After Sex – as primeiras confirmações do festival lisboeta e todos os nomes anunciados de uma só vez -, e o também agora anunciado rapper português Valete.