Não é nada fácil arriscar uma cover de uma banda como os Depeche Mode: há sempre boas chances da tentativa soar enfadonha ou oportunista, especialmente quando o alvo escolhido é um clássico do tamanho de “Enjoy The Silence”, por exemplo. De qualquer maneira, há algumas boas variantes das canções da banda inglesa disponíveis: as covers de Johnny Cash para “Personal Jesus“, dos GusGus para “Monument” ou dos Rammstein para “Stripped” são excelentes exemplos que mostram que com versões radicalmente diferentes das matrizes e um toque claramente pessoal de cada um, o resultado causa a estranha sensação de que estas músicas sempre pertenceram aos artistas que as escolheram (o que é sempre bom sinal).

A norte-americana Julia Holter não se deixou intimidar pelas belíssimas versões já editadas de temas dos Depeche Mode e acaba de gravar a sua interpretação para “Condemnation”, cantada a plenos pulmões originalmente por Dave Gahan no álbum Songs Of Faith and Devotion de 1993. São duas versões da canção escrita por Martin Gore já disponíveis para streaming e que também serão lançadas em formato físico num single de sete polegadas de edição limitada, programado para 15 de Setembro, pela Domino Records. O single é um tributo ao músico e realizador norte-americano Travis Peterson, falecido em Dezembro do ano passadom que tinha os Depeche Mode como uma das suas bandas preferidas.

Peterson – que dirigiu vídeos para Ariel Pink e Glass Candy, entre outros -, era amigo pessoal de Julia Holter e dos outros três artistas que colaboram na gravação: Ramona Gonzalez, a.k.a. Nite Jewel e o seu marido Cole M.G.N – com quem também colabora nos Jewel -, e Nedelle Torrisi. “Condemnation (Live)” é, como o nome indica, uma delicada e emotiva versão ao vivo, quase um a cappella acompanhado somente por acordeão, enquanto “Condemnation (Synth)” traz arpejos de sintetizador emoldurando os vocais. São duas belas reconstruções numa justa homenagem que tem um destino nobre: o total de vendas alcançado reverterá para o Didi Hirsch Mental Health Services, uma organização sem fins lucrativos que presta serviços relativos a saúde mental e dependência química a comunidades carentes de Los Angeles.