De raízes mais vastas que as de uma sequóia, Douglas Pearce é o tronco que suporta os Death In June. Formados em 1981 em Inglaterra, destituem-se em 1985, enquanto trio, passando a ser só Douglas P. a criar chamando mais tarde alguns convidados para o ajudar na tarefa da composição. Não é em Junho, mas sim dia 03 de Outubro que Douglas leva as suas vibrações ao Hard Club, no Porto. Cabe a Afonso Dorido, a.k.a Homem em Catarse, aquecer o palco com o seu registo a solo, de guitarra e voz.

Os Death In June celebram 35 anos de carreira e contam com mais de 18 registos em estúdio. As raízes deste conjunto são muito diversas e alongadas, mas é possível encontrar influências desde a folk mais negra ao noise mais puro. Com a sua presença enigmática, acompanhada sempre de uma máscara, Douglas P. recorre muitas vezes à dicotomia: bateria marcial e letras sócio-politicamente pensadas para criar música frequentemente interventiva.

Com a passagem de mais de 20 músicos pelo projecto, o som dos Death In June sofre uma constante mudança e os seus espectáculos são completamente imprevisíveis mas inevitavelmente interessantes. Aguardamos, então, pela data única em Portugal pela mão da Muzikismyoyster com bilhetes a €20.