E assim se passa de uma canção que recolhe para si referências imediatamente associadas às pistas de dança iluminadas por bolas de espelhos, principalmente por alturas da década de 70, para avançar uns quantos anos e pisar a década seguinte com uma versão que se aproxima de um território bastante mais do território dos Queen – quer pelo tom da guitarra, quer pelos trejeitos que vai produzindo ao longo do tema, quer pela ambiência menos dançável e mais rock.

O tema-título do último álbum dos Arcade FireEverything Now foi editado em julho deste ano -, levou uma reconstrução que o retira dos anuários do disco sound mais conotado com a sonoridade dos ABBA e o inscreve em estruturas alinhavadas a guitarras sem o brilho prateado e incandescente do original.

Um dos singles extraídos do disco, “Everything Now” foi transformado ao vivo nos estúdios da rádio Triple J pelos australianos The Preatures, que contribuíram com o tema para o Live A Version, segmento no âmbito do qual vários músicos redesenham canções originais de outros artistas lado a lado com a apresentação de canções da sua autoria. Pelo programa, estreado em 2004 já passaram, entre outros, os Tame Impala, Arctic Monkeys, alt-J e Bon Iver, entre outros.