Poucos mas imensos. Agnes Obel  edita hoje Myopia, o quarto disco em dez anos. Um disco de intimidade e de seclusão de uma artista de carácter único. Mais uma vez, e tal como em todos os discos anteriores, a dinamarquesa refugiou-se em total isolamento afastando todas as possibilidades de influência externa no decorrer do processo de escrita, gravação e produção de Myopia. Agnes oferece assim, um disco hermeticamente atemporal e, mais uma vez, sublime.

Lê também: Fazer vidro com mãos quentes: Pedaços de ‘Citizen Of Glass’ por Agnes Obel