Uma das mais simples formas de apresentar e captar a atenção para o australiano Alex Cameron é dizer que a Angel Olsen leva a sua música para o ginásio e que os Foxygen são fãs dele desde que se cruzaram com as suas canções no Silencio. Não num momento sem ruído mas no clube parisiense de David Lynch, não vá isto dar confusão.

Então o que tem Alex Cameron que atrai gente tão respeitável? Tem o seu disco de estreia,  Jumping The Shark, e duas mãos cheias de synth-pop introspectiva assentes numa capacidade de retratar em comoventes canções personagens e situações decadentes, às quais as pessoas vulgares facilmente viram as costas ou lançam reprovadores olhares e frases de desdém.

Mas tem ainda mais que isso? Tem! Cameron tem um original modo cabotino de cantar o que o torna um intérprete altamente expressivo e que lhe dota os concertos com carismática teatralidade. Ou seja, quanto mais pequeno o espaço, mais se desfruta dos talentos do jovem crooner que tem feito as primeiras partes dos espectáculos de Angel Olsen.

E nós? Já temos a vossa atenção? Sim? Ok, então temos duas noticias boas para dar. Uma é que ele anda por Lisboa no dia 21 de Outubro e outra que na noite anterior passa pela mágica cidade Invicta. O Café Au Lait recebe-o a dia 20 e em Lisboa, Alex avança pela Café Au Lait adentro. Na verdade afinal eram três boas noticias porque temos aqui também um rafeiro super classy para vos mostrar. Este é o mais recente vídeo de Alex Cameron, “Mongrel”. Todos os rafeiros são encantadores.