Eles já o tinham feito na celebração do 21º aniversário da Pitchfork, em inícios de Dezembro, em Nova Iorque, e agora atravessam o Atlântico e repetem-no em Portugal. Os Animal Collective vêm a Lisboa – a Panda Bear basta descer o Príncipe Real e dar um saltinho até à Avenida da Liberdade -, tocar Sung Tongs  na íntegra como parte de uma digressão internacional que irá contemplar algumas cidades europeias, em Junho, e norte-americanas, em Julho.

Avey Tare e Panda Bear, os dois únicos elementos da banda a participar na composição disco, irão subir aos palcos as 12 canções que lhe desenham a história em moldes semelhantes ao concerto que deram em Nova Iorque – que pode ser visto aquiSung Tongs, o quinto registo de estúdio dos Animal Collective, foi editado em 2004 e mantém-se até hoje como um dos marcos obrigatórios e indissociáveis da carreira dos norte-americanos, com a sua amálgama de ritmos coloridos numa atmosfera pop experimental que sorrateiramente incorpora tantas outras variantes estilísticas, quase sempre eufóricas na essência e surreais na sua construção. O disco, originalmente creditado apenas a Avey e Panda Bear, só mais tarde passou a constar da discografia do colectivo.

David Portner e Noah Lennox trazem a matéria quasi-hipnótica quasi-insana de Sung Tongs ao Capitólio pela mão da ZDB, celebrando da melhor forma a entrada do Verão no calendário, a 21 de Junho, naquela que será a penúltima data europeia. Os bilhetes estarão à venda online a partir da próxima sexta-feira, às 10h00.

O último álbum dos Animal Collective foi Painting With, de 2016, um disco em que Deakin não participou. Avey Tare editou no ano passado o seu terceiro registo a solo, Eucalyptus, e veio tocá-lo a Lisboa, à St. George’s Church.

Lê tambémAnimal Collective tocam ‘Sung Tongs’ na íntegra no 21º aniversário da Pitchfork

Animal Collective