Nomeados para várias categorias do Juno Awards, o evento que premeia a melhor música made in Canada e cuja edição de 2018 teve lugar na noite passada, em Vancouver, os Arcade Fire acabaram por vencer apenas apenas o de Album Of The Year com Everything Now, editado no ano passado, e o International Achievement Award que premiou o seu exemplary success on a global scale, tendo sido o primeiro colectivo a receber o galardão, que anteriormente tinha sido entregue a Drake e Shania Twain, entre outros.

Mas nem por isso os Arcade Fire deixaram de fazer a festa e tornar o palco da cerimónia, apresentada por Michael Bublé, no já habitual disco dancefloor com o tema-título do seu quinto registo de estúdio, desta vez acompanhados por uma secção de cordas e orquestra, bem como dos First Nation singers (cantores indígenas) com Win na guitarra e Régine ao piano.

Os Arcade Fire veriam o prémio para Group Of The Year ir parar às mãos de A Tribe Called Quest, Alternative Album Of The Year seguir viagem para a terra dos Alvvays, Single Of The Year cair no colo de Shawn Mendes e Album Artwork Of The Year voar para o estirador dos Do Make Say Think.

Em baixo, o vídeo da actuação e o discurso de aceitação do prémio International Achievement Award, em que Win confessa:

It’s really hard to keep a group together. We’ve been around for 15 years, and I just want to say thank you to everyone for sticking with it.

Os canadianos actuam já no próximo mês no Campo Pequeno, em Lisboa, e sobem ao Vodafone Paredes de Coura em Agosto.