A dança sempre esteve em destaque no projeto audiovisual de Leslie Feist – desde o lúdico passeio pelas ruas e pelos ares de uma Paris apoderada da matéria dos sonhos em “Mushaboom” (2004) ao plano-sequência ultra-coreografado e colorido de “1234” (2007). No âmbito musical, entretanto, muita coisa tem mudado neste seu projeto solo. O indie pop soalheiro que revestia a sonoridade da primeira fase da carreira da cantora canadiana concedeu espaço ao folk lôbrego de Metals de 2011 e às guitarras raivosas e produção lo-fi de Pleasure deste ano, o seu primeiro álbum oficial em seis anos que desvia o som da artista para uma paisagem musical preenchida por palavras duras e uma sonoridade crua e provocativa.

Do novo material surge o vídeo para “Century“, que traz mais uma vez os familiares passos de dança que ocupam agora um tom de registo estranho e introspectivo. Acompanhando a atmosfera furiosa das faixas musicais de Pleasure, o vídeo coloca Feist a duelar contra uma espécie de doppelgänger seu debaixo de uma elevação de tráfego, cenário para uma genuína briga entre gangues.

I fought my feelings and got in the way
Could’ve been easier like a decade of days

Se a luta contra si mesma, que abre a canção, é esta batalha de dança, os sentimentos aqui são dançarinos que cercam Feist e seu outro eu, e se projetam ao ataque acompanhando as variações de batidas e acordes das guitarras da canção. O vídeo para “Century” encerra com a magnética presença de Jarvis Cocker, frontman da antológica banda inglesa Pulp, a recordar-nos em segundos, horas e dias o quão longo é um século:

Almost as long as one of those endless dark nights of the soul, whose noise never ends,

conclui em voz sussurrante, numa pequena crónica bem ao seu estilo inconfundível. O vídeo é dirigido por Scott Cudmore e é o segundo a ilustrar canções do novo álbum de Feist – o anterior foi dedicado à canção homónima. Leslie Feist aparece ainda em 2017 no retorno dos Broken Social Scene, coletivo canadiano que contribuiu para projetá-la aos olhares do mundo no início deste novo século, e que também retorna após longo período de hiato com novo álbum.