Estamos desde 2011 em suspenso quanto à continuidade ou não de Conor Oberst nos Bright Eyes – embora o estratega oficial e mentor do projecto nunca tenha saído oficialmente da banda -, desde o lançamento de The People’s Key há precisamente 6 anos. O mesmo não se pode dizer da sua carreira enquanto artista em nome individual, nem tão pouco do seu envolvimento na criação de editoras (já se contam 3) e participação em diversas outras bandas (nomeadamente nos Commander Venus, Park Ave., Monsters Of Folk e Desaparecidos) e projectos nos quais se envolve. E, são raras as vezes que se dedica a uma coisa de cada vez, porque o tempo urge e cowboys stories é coisa que não falta por aí. Para quem a falta de tempo é um argumento de peso, é dar uma olhada no percurso de Oberst.

Com Ruminations, o disco de 2016 editado em finais de Outubro ainda quente nos players de tantos, Conor Oberst avisa que há disco novo nos horizontes silenciosos e alaranjados do Midwest que, sabemos agora, se avistam próximos: Salutations sai já no próximo mês. A “A Little Uncanny” e “Napalm”, singles de Ruminations -, junta-se agora a dupla som e imagem de “Till St. Dymphna Kicks Us Out”. Por entre whiskeys, puppies, leituras, risos e tantos outros retratos, faz-se o desfile de vários tipos de personagens que habitam um bar, tudo bem rematado por uma linha de harmónica tão melodiosa como estridente. Agarrem um copo e juntem-se.