Lia Rose é a anfitriã que nos abre os altos portões de ferro forjado e nos convida a entrar num mundo de fogos irreversíveis que ardem nas catacumbas onde se condenam almas malfeitoras e se alinham a glorificação do encanto místico das sombras de Björk e a escala melódica vocal de Lykke Li. Como uma marcha lenta que se alastra apressadamente na conquista agressiva e usurpadora de territórios alheios, “Wold On Fire” singra como uma valsa majestosa e altaneia de percusão ditatorial, quase tribal, encapsulada num frenesim onírico de sintetizadores curvilíneos e orquestras electro-góticas. Lila Rose confessa-nos:

I want people to see the interconnectedness of all life… I want the music to allow people to feel the expansiveness of their emotions, and to feel passionate and angry and inspired to make change in our lives for the greater scope of things.

Lila Rose é canadiana, vive na Califórnia, mas a pertença sonora é inequivocamente nórdica. O sucessor de Heart Machine de 2012, We.Animals, leva data de 13 de Abril e a promessa de ser tão despótico e impulsivo como o tema que o dá a conhecer ao mundo.

rosana rocha sig

About The Author

globetrotter, infografista frustrada, seinfeldo-dependente, apreciadora de aviões, perfeccionista ocd e com vários títulos académicos em factos irrelevantes.

Related Posts