Laura Gibson, vocalista e multi-instrumentalista norte-americana proveniente do estado de Oregon, instalou-se na cidade de Nova Iorque onde estuda escrita criativa. De voz que capta nutrientes semelhantes aos de Regina Spektor ou de Luísa Sobral, cada faixa sua assemelha-se a um hino indie com pautas desenhadas a folk suave em valsas catárticas pela mudança do estado de coisas e do estado de alma.

A efemeridade confirma-se, e Gibson mostra-nos que muitas dores têm soluções à vista. Com quatro álbuns já em circulação, If You Come to Greet Me, de 2006, Beasts of Seasons, de 2009, La Grande, de 2012, e, o mais recente, Empire Builder lançado em Abril, a sua carreira ganha cada vez mais uma força muito própria e fiel à proposta lírica de Laura.

Assim, acompanhou-se, em estúdio, por Peter Broderick, Dave Dapper (Death Cab For Cutie) Nate Query (The Decemberists) e Dan Hunt (Neko Case) onde, juntos, fizeram nascer um álbum que pelas vozes mais altas é dito com o seu melhor até à data.

O nome Empire Builder é dado ao comboio que percorre a fronteira do Canadá em direcção à costa Este, transporte que permite uma viagem que, como vemos, deu frutos e dos saborosos, ou agridoces, num êxodo físico e musical, numa escapadela que, em tudo, se manifestou urgente. Todos sabem como funcionam os comboios em viagens longas, não é verdade?

We are not alone
and we are more alone
than we’ve ever been
so hurry up and lose me
hurry up and find me
again

A Lugar Comum, associação de promoção e divulgação cultural, convidou Laura a Coimbra para que venha fazer o que melhor sabe, inaugurando a 8ª edição do ciclo de concertos American Autumn, já no dia 16 de Setembro. Este ocorrerá no CAV – Centro de Artes Visuais -, e apresentar-nos-á, então, o seu último trabalho, Empire Builder, com single homónimo, inserido na sua afirmação enquanto cantautora consistente e coerente do panorama norte-americano.

Esta associação exemplar tem lutado constantemente, desde 2008, por desenvolver a sua acção no universo da música não mainstream, alimentando as trocas independentes entre agentes culturais e demais estruturas, gerando-se uma programação em rede. Isto surge em colectividade além fronteira nacional, através da junção à SON Estrella Galicia, um marco no que diz respeito à aposta na música criada e apresentada à margem, com o patrocínio da cerveja que partilha a mesma designação. Uma bonita boda ibérica, esta.

Podem já reservar os vossos bilhetes. O preço geral fica por €10 e passa a €8 para os associados da Lugar Comum. Devem apressar-se, pois a sala tem capacidade limitada e somente os mais rápidos poderão assegurar posição no público.

Concertos em Espanha e Portugal, em Setembro:
14: Teatro Del Arte, Madrid
15: Cultural Cordon, Burgos
16: CAV, Coimbra
17: Café Pop Torgal, Ourense