2016 é, seguramente, o ano de Shura. Não só porque ficará para a história como o ano que testemunhou o lançamento do seu disco de estreia Nothing’s Real – em Julho passado, após 5 anos no anonimato cujo ponto alto e o catalisador de uma carreira que se prevê auspiciosa foi o single “Touch” em 2014  -, não só porque foi o ano da sua revelação, ao mesmo tempo que despontava uma necessidade de a ouvir que desconhecíamos existir, mas também porque foi uma substituição relâmpago de última hora no Vodafone Paredes de Coura (Shura veio preencher o lugar vago por Sharon Jones & The Dap-Kings) que se revelou absolutamente ganhadora, com um concerto que figurou, unanimemente, como uma das passagens mais memoráveis que subiram na edição deste ano do festival minhoto.

A mancuniana volta agora a embelezar o universo com o vídeo para um dos temas de Nothing’s Real. “311215” revelam-nos pedaços antigos da vida de Shura e do seu irmão de quando eram crianças, de um tempo ido reproduzido e revisitado numa TV retro, possivelmente contemporânea das imagens, numa harmonia perfeita com os tons suaves e melancólicos de que se alimentam o tema e que servem, ao mesmo tempo que produto artístico, enquanto homenagem aos seus pais. Como a própria explica,

311215 is about fear of death. The death (one day) of my parents and to a certain extent my own; That everything must come to an end. I chose to finish my record with this song in part because it deals with endings. For me it also marks the start of another journey. Who knows where that will lead…

Um momento adorável e bonito, de momentos felizes e memórias que ficam e se guardam bem juntos ao coração. 2016 é, seguramente, o ano de Shura.