Pouco mais de um ano após a sua última passagem pela cidade, Braga reclama uma nova visita de B Fachada. Em época festiva, atenderam aos nossos pedidos: temos encontro marcado já no próximo sábado, no GNRation, no último fôlego da festa minhota do S. João.

Quanto ao mote para a circunstância, não esperamos menos do que um esmiuçar dos seus últimos anos de carreira, uma jornada discográfica desde o ido ano de 2007 e que tem paulatinamente desafiado as convenções de cantautor português. Numa primeira  fase, o sonho de ser “o Frank Zappa português”, uma versão lusitana do músico prolífico e inventivo, obrigava-o a um frenético ritmo de dois trabalhos por ano; já mais recentemente, e depois do seu “ano sabático” em 2012, apenas lhe conhecemos o terceiro disco homónimo, em 2014, e uma colaboração criativa com as amigas Pega Monstro.

Teremos música nova? É uma incógnita – e, em boa verdade, não muito pertinente. Um concerto do B Fachada é, acima de tudo, um encontro com as músicas que fazem parte de um imaginário recente mas muito português, pautadas pela irreverência e experimentação; a sua persona, mais uma característica do todo ao que chamamos artista; e, por último, os seus concertos, que guardam tanto de prazer musical como de espécie de reunião de amigos, tácito sentimento de quem se junta para um curto passeio em família.

É já no próximo sábado, no pátio exterior do GNRation, tocados pelos ventos quentes de final de Junho. Reencontramos o Tio B e a braguesa volta a jogar em casa. O bilhete, módicos 7€, são pouco mais que uma mera formalidade.