Banks tem nova música, chama-se “Gemini Feed” e conta, de novo, com a ajuda de SOHN com quem já contribuíra em “Waiting Game”, um dos temas do seu álbum de estreia Goddess, e essa presença é significativa e bem visível. Continuamos à espera que a sua obra seguinte, The Altar, venha à superfície e, deste modo, a espera é bem mais doce, pois Setembro está já ao virar da esquina.

Desde o lançamento de “Better” e “Fuck With Myself” que recebemos uma Banks mais independente, forte e extrovertida. A autenticidade é expressada em todas as frentes, bem como a confiança que brota das letras e das melodias, ambas em dueto incrível, numa emancipação musical e, quiçá, pessoal.

Nesta faixa acabada de chegar, recebemos referências a um determinado altar, provavelmente em torno da associação mais directa a esse objecto: o casamento. Somos engolidos pelo tom passive-agressive em espiral que, pela repetição, se torna simultaneamente um antídoto e um veneno, e damos conta de uma hipotética relação que em nada parece saudável. É melhor cortar o mal pela raiz.

And to think you would get me to the altar
Like I follow you around like a dog that needs water
But admit it that you wanted me smaller
If you would have let me grow
You could have kept my love

Altares à parte, é Banks quem comanda as tropas. E estamos aqui para obedecer. Já está em replay.