Pelo menos por agora já temos a certeza que Benjamin Clementine não vai deixar 2017 chegar ao fim sem mais um disco e o sucessor de At Least For Now de 2015. O compositor londrino tinha já aberto as estradas e as ruas que o encaminhariam para o anúncio de um novo disco através de “Phantom Of Allepoville” em maio passado com a partilha de um vídeo para a mesma música, um trabalho sombrio e experimentalista onde se debruçava sobre o paralelismo entre o bullying e os efeitos que a guerra exerce de forma profunda nas crianças.

As estradas e ruas abertas levaram então Clementine até I Tell A Fly, o segundo disco de uma carreira curta e incontornável do demónio vestido de Sir das Ruas. O novo álbum de Benjamin sai em Setembro, mais precisamente a dia 15 pela Behind/Virgin EMI e é oficializado com mais um dos temas que desenham um outro olhar, desta vez mais político, de Benjamin Clementine sobre a realidade. “God Save The Jungle” assume a temática iniciada com “Phantom Of Allepoville” e revela um compositor que, sem deixar a sua pena esquecer a própria história, a aplica ao mesmo tempo que observa temáticas actuais e preocupantes. A similaridade do nome da nova música com o hino do Reino Unido não é de todo coincidência e, sim, há uma apropriação do original a dado momento.

Lê tambémBenjamin Clementine e os fantasmas de guerra e da infância em “Phantom Of Aleppoville”

I Tell A Fly é, segundo Clementine, de certa forma uma peça de teatro. Um conto sobre a viagem de duas moscas que partem à descoberta de um mundo até aí incógnito e do futuro abandono de uma delas pela outra. É também um disco sobre aliens, sobre o sentimento de não pertencer a lugar algum e sobre a mentira recorrente que alimenta os dias. Ou nas suas próprias palavras ao The Fader:

…of course the theme is about aliens — flies being aliens — and of course one could also say that I’m telling a lie by me talking about Calais and Aleppo, putting those things in it. Some people think that what the media say is a lie, or what’s going on is all lies, and some people have some strange way of thinking about what’s going on. So, I Tell A Fly is a play on words of “I tell a lie,” but I am also telling a story about two flies.

Benjamin Clementine gravou I Tell A Fly em Londres depois de um ano a viver em Nova Iorque. Uma estadia que coincidiu com o processo eleitoral norte-americano que conduziu à eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos. Influenciado por todo o clima politizado e por acontecimentos como a crise de Calais, Clementine congrega em torno da sua poesia as vivências pessoais, um apelo humano ao divino e as consequências políticas de todos os actos.

…there’s a balance, you know. We all live in the jungle, and if you spot somebody and you think maybe you can help them, just go ahead and help them.

Benjamim Clemetine 'I Tell A Fly'

Benjamim Clemetine ‘I Tell A Fly’

I Tell A Fly

01. Farewell Sonata
02. God Save the Jungle
03. Better Sorry Than a Safe
04. Phantom of Aleppoville
05. Paris Cor Blimey
06. Jupiter
07. Ode From Joyce
08. One Awkward Fish
09. By the Ports of Europe
10. Quintessence
11. Ave Dreamer