Black Submarine - New Shores
70%Overall Score

Os Black Submarine são uma espécie de super grupo. O novo projecto dos ex-membros de The Verve, Nick McCabe e Simon Jones (guitarra e baixo respectivamente) com Davidé Rossi, músico multi-instrumentalista, produtor e colaborador de Goldfrapp, Coldplay e The Verve. A banda fica completa com Amelia Tucker na voz e Michele Schillace na bateria.

Logo à partida, o álbum não desilude. Antes pelo contrário. Abre com “Black Submarine”, um épico de 7 minutos que mistura Radiohead e Massive Attack e nos faz instintivamente dançar e repetir hipnoticamente o refrão “this is our black submarine”. As cartas estão lançadas e não há volta atrás. Ao segundo tema, “Here So Rain”, outro épico de 8 minutos, ouvimos pela primeira vez uma voz feminina e ficamos imediatamente cativos. Hipnotizante, bela e directa à alma. Tricky talvez seja a referência neste tema. Ambas as músicas, apesar da sua duração, passam como se tivessem apenas 3 minutos, o que diz muito acerca da forma como os ambientes são criados. Os arranjos magníficos da secção de cordas, da autoria de Rossi, são os grandes responsáveis por isso.

Chegamos à terceira música, “Heart First”. O seu refrão é dos melhores do álbum; grandioso, com a voz de Amelia Tucker a surgir como do topo de uma montanha. Já Florence Welch caminhou por este trilho. E mais uma vez, o arranjo de cordas que acompanha o tema, é magnífico. “The Love In Me” traz o regresso da voz masculina de Rossi, que contrasta asperamente com a voz de Tucker, mais bonita, mais melódica e a encaixar na perfeição em qualquer tema. Esta música encerra também o ciclo eléctrico-electrónico do álbum, uma vez que a partir de “Move Me A Mountain” temos guitarras acústicas e arranjos de cordas ainda mais presentes como complemento instrumental. A voz doce de Tucker volta ao papel principal. No âmbito dos destaques falta mencionar “Heavy Day”, um tema mid-tempo muito bem conseguido melodicamente, com Tucker a dar largas à imaginação com uma panóplia de harmonias e melodias vocais, acompanhadas por uma linha de guitarra em espiral e violinos em género de mantra até ao fim.

New Shores é sem dúvida um excelente primeiro trabalho destes cinco músicos, inspirado, alinhado com gosto e ecléctico, algo que falta a muitas bandas hoje em dia, em que tudo parece saído de uma linha de montagem. Esperemos que os Black Submarine nos brindem com mais trabalhos. Se não, pelo menos este já ninguém nos tira.