Os Bomba Estéreo, que estiveram na edição do ano passado do Super Bock Super Rock, pegaram em “Everything Now” dos Arcade Fire, despiram-lhe as purpurinas prateadas e as bolas de espelhos, derreteram-lhe o gelo lunar e levaram-no a viajar até à sua Colômbia natal, onde o impregnaram de uma valente dose picante de cumbia e tropicalidade, algures entre a electricidade vibrante e multicolor das ruas Bogotá e os recantos mais negros das pistas de dança.

O tema-título do último álbum dos Arcade Fire, editado em Julho deste ano, expõe uma fase vincadamente dançável na presente encarnação da vida discográfica dos canadianos, uma transformação que se iniciou em 2013 pela mão de James Murphy dos LCD Soundsystem aos comandos da produção de Reflektor, o disco anterior. 

“Everything Now”, que não destoa naturalmente do electro party dos Bomba Estéreo – o nome da banda é um termo colombiano que significa algo como “festa de arromba”, e quem já assistiu a concertos recentes dos Arcade Fire sabe que se transformam rapidamente numa realidade muito próxima disso com as suas já famosas chuvas de confettis -, é assim injectada com ritmos tradicionais do Hemisfério Sul e a salsa de Porto Rico num remix que leva o nome de “Everything Now (Todo Ya) Remix”.

Os Bomba Estéreo andaram com os Arcade Fire em digressão pela América do Sul, onde fizeram as primeiras partes dos concertos do Rio de Janeiro e de São Paulo.