A esperança média de vida de um corvo, dependendo da espécie, pode ir dos 7 até a uns sábios 22 anos. Mas não sabemos bem em que ramo da família Corvidae podemos situar o blog de Sofia Teixeira, a mulher hiperativa que tem vindo, desde 2008, a dar de comer literatura, música e outras substâncias artísticas, ao bico do seu espécime.

Um caso bastante particular da zona blogger portuguesa, o BranMorrighan, celebra no próximo dia 5 de Janeiro o seu nono aniversário – a data real é 13 de Dezembro mas a festa é quando um homem quiser ou uma mulher tiver tempo para a celebrar -, em mais uma celebração a habitar os domínios do Musicbox, em Lisboa, como tem vindo a ser ritual nos últimos anos. Tal como nas edições aniversariantes anteriores, Sofia Teixeira chamou algumas das bandas que passaram pelo diário de bordo do seu blogue para dar som à noite e, desta vez, as escolhas recaíram sobre Nada-Nada, TIPO e Whales, nomes que preparam em 2018, de uma ou de outra forma, as suas estreias discográficas.

Os Whales, que lançaram precisamente hoje o segundo vídeo para o disco debutante que chega em Março, são mais uma das bandas talhadas ao detalhe nos fornos da Omnichord Records. Pedro Carvalho, Roberto Oliveira e Vasco Silva habitam esse ecossistema há apenas três anos, mas a maturidade do som que apresentam mostra um animal portentoso de tamanho literalmente semelhante ao crustáceo que os baptiza. Se são uma banda de new wave com influências de electrónica dançável ou uma banda de ambientes digitais que sabe ler no passado e no futuro uma visão do presente perfeitamente particular, fica ao critério de quem mergulhar com eles tanto na extensa digressão que já está a ser preparada e que começa precisamente na noite de dia 05 de Janeiro no Musicbox, como no disco que aí vem. Se 2016 foi o ano da afirmação absoluta dos First Breath After Coma e 2017 de Surma, as apostas que 2018 será o ano dos Whales estão já em altas.

Os monstros do armário também dançam: “Ghost” é o novo vídeo dos Whales

Bichos à parte, a noite conta ainda com um personagem do universo de Charlie Brown. Não, não é do dono do Snoopy mas dos You Can’t Win Charlie Brown. Salvador Menezes, um dos fundadores do colectivo lisboeta parece em dada altura ter-se aborrecido com a vida e desatou a fazer música. Fez tanta, que já despachou três discos com os YCWCB e ainda teve mais músicas para desviar da banda principal e fazer de si mesmo um TIPO cheio de calor tropical, de vibrações pop, de experimentalismos subtis com um disco que, ao que consta, deve sair lá para Março pela Pataca Discos. Por agora, há um passaporte carimbado até à “Jugoslávia” no vídeo em baixo e uma outra ida ao Cais do Sodré na sexta-feira para o primeiro concerto enquanto um tipo chamado TIPO.

Ainda com pouco para contar em nome próprio mas Nada-Nada a tocar num “Horário de Verão” desde Novembro, Cláudio Fernandes é o outro convidado do corvo para a noite de dia 05. Cláudio pode até ser um Nada-Nada mas chega ao seu novo projecto com muita estrada…ou deveríamos dizer PISTA? Pois, Cláudio é um dos rostos da banda barreirense que se bamboleou por aventuras indie-rock saltitantes e africanizadas em 2015 com o primeiro longa-duração. De lá até cá, Cláudio tem vindo a montar este pequeno delicioso monte de nada que deve ganhar corpo de um disco durante este ano. Um registo, que pela amostra inicial, se afasta da banda primordial e avança mundo fora com um synthpop de aromas semelhantes aos de uns Animal Collective rendidos aos teclados de Neon Indian. No Musicbox, Nada-Nada estreia-se enquanto um todo-todo e em formato fullband com Ricardo Martins, Ernesto Vitali, Diana Meira e ainda alguns convidados-surpresa.

A festa de celebração do nono aniversário do BranMorrighan acontece na próxima sexta-feira, dia 5 de Janeiro, e tem início às 22h. Os bilhetes já se encontram à venda e têm o custo de €6.

BranMorrighan

BranMorrighan