Brody Dalle - Diploid Love
70%Overall Score

O aguardado álbum de estreia de Brody Dalle, a vocalista/ guitarrista dos The Distillers e dos Spinnerette está aí e não desaponta. Vamos já falar das participações de peso, que dão o tom ao trabalho geral; temos Alain Johannes (colaborador frequente de Queens Of The Stone Age, Chris Cornell e Mark Lanegan), Michael Shuman (baixista de Queens Of The Stone Age) e Nick Valensi (guitarrista de The Strokes), no que diz respeito a instrumentos. Na voz, temos ainda a participação de Shirley Manson (Garbage) e Emily Kokal (Warpaint) num tema. Apresentações feitas, vamos ao álbum.

Como disse antes, os participantes têm um papel fulcral no tom geral do trabalho. As primeiras três músicas têm um feeling inconfundível a Queens Of The Stone Age, apesar da produção e ambiente geral soarem mais punk. Mas o tempo e o ritmo da bateria é algo a que estamos acostumados a ouvir da banda de Josh Homme. A influência mais pop sente-se a partir da quarta faixa, e em “Meet The Foetus/On The Joy” entram as participações vocais das senhoras já mencionadas. Em “I Don’t Need Your Love” entramos num território quase Massive Attack, mas mais épico e menos electro. Em”Blood In Gutters” há algo de extremamente pesado no refrão. Guitarras a roçar o metal, uma voz agressiva e expressiva, mas natural sem soar forçada, algo que Courtney Love nunca conseguiu fazer apesar desta ser definitivamente uma influência para Dalle. O álbum termina com o mesmo tom pesado e sombrio em “Parties For Prostitutes”.

Este é, sem dúvida, um excelente primeiro trabalho a solo de uma artista que terá muito mais para dar. A jogada inteligente dos convidados funcionou bastante bem quer a nível musical, quer a nível mediático, e ajudam a ter um álbum ecléctico, algo cada vez mais raro hoje em dia. Destaco “Rat Race”, “Don’t Mess With Me” e “Dressed In Dreams”.