Flutuamos na água da praia, rebolamos pela relva, sentimos o sol e o sal na pele quando ouvimos o músico norte-americano, Cass McCombs. Cass parece que possui o antídoto magistral para nos deixar nas nuvens. Vocalista e guitarrista, com vários álbuns publicados desde 2002, não cessa de nos surpreender com o seu fiel soft folk psicadélico. Mangy Love, o último disco, inclui colaborações com Angel Olsen e Blake Mills. Lançado há cerca de uma semana pela ANTI-Records, o disco é um perfeito e intenso aconchego para as noites quentes que ainda nos restam. Faixas como “Bum Bum Bum”, “Medusa’s Outhouse”, “In a Chinese Alley” ou “Rancid Girl” são algumas das surpresas bonitas deste novo trabalho de McCombs. Temas que tocam em matérias sensíveis, questões sociais e políticas como a desordem humana, ainda que superficialmente, acompanhado da sua disposição chillwave.

“Bum, Bum, Bum” é a primeira faixa do álbum, e não poderíamos iniciar esta viagem de outra forma. É um maravilhoso mote, com uma batida tão suave e angelical que nos faz sorrir. Cass fala-nos do sangue que derrama e das guerras frias que nos rodeiam, referenciando ironicamente correntes extremistas como o Ku Klux Klan. De guitarra eléctrica cuidadosamente limada e um órgão sedoso a acompanhar, o refrão vai-nos beliscando ao longo da faixa.  Que venham mais histórias de encantar, Mr. Cass McCombs. Aguardaremos.

 

You think you’ve heard it all before
Well, here’s once more
We’re all at war
Bum bum bum