Albumin é o primeiro álbum da banda desde o aclamado Electric Tarot de 2010. O novo disco marca a estreia da banda nas fileiras da Bella Union, editora de Simon Raymonde (ex-Cocteau Twins), iniciando um novo capítulo de uma história marcada por triunfos e desastres, lutas e redenções. Este é também, sem dúvida, o melhor registro dos Celebration até à data, o álbum que o quinteto procurava desde o início da sua carreira.

Desde “Razor’s Edge”, o hino que abre este disco, à leveza pop de “Tomorrow’s Here Today” e o blues/southern rock mutante que é “I Got Soul”, estas são das melodias mais fortes, dos arranjos mais dinâmicos e dos feitiços mais profundos e encantatórios conjurados por Katrina Ford. Anos de experiência de estúdio e um acumulada capacidade de traduzir emocões, traçam a identidade da banda em 2014.

“It’s been a long journey”, lembra Ford que, com o multi-instrumentista (e marido) Sean Antanaitis e o baterista David Bergander, formaram os Celebration em 2004. “We’ve all experienced a lot of life, toured a whole lot, had our ups and downs, and the music reflects that. It goes deeper now.”

Antes do disco chegar dentro de uma semana, temos mais esta pequena amostra do que será Albumin. “Chariot” é rock&soul cantado numa igreja psicadélica.

alec peterson sig