“For fans of QOTSA circa Rated R or The Clash circa Sandinista.” Foi assim que os londrinos Piano Wire anunciaram a edição do seu primeiro longa-duração que levará o título Dream Underground na lombada. A promessa é de um rock descomplicado, directo ao assunto e carregado de riffs, e de uma evolução na escrita e produção do som da banda bem patentes neste seu novo trabalho.

A par desta novidade, o quarteto mostrou também o primeiro avanço para o álbum sob forma de “Cherry Coma”, tema que vem acompanhado do respectivo vídeo realizado por Steve Gullick e rodado no clube Flying Dutchman, na cidade natal da banda. Juntando o rock pesado do deserto da Califórnia a uma sensibilidade pop no refrão, a cereja, se não estiver no topo do bolo, faz prever um disco que se antecipa aguçado, mas exuberante.

Entre filtros vermelho-sangue e trabalho de câmara irrequieto, a banda toca sem meias medidas com guitarras trituradoras e percussão que fazem pensar nas viagens por estradas infinitamente retilíneas a remeter para o imaginário dos anos 90. Por detrás da distorção ressaltam mudanças inesperadas e uma tonalidade surpreendente quando toca a melodias e ganchos caracteristicamente mais orelhudos.

Dream Underground, sucessor do EP The Genius Of The Crowd (2015), será lançado a 13 de Janeiro pela Hanging Houses, editora própria da banda da qual fazem parte Sym Gharial e Andy Huxley, ambos ex-Eighties Matchbox B-Line Disaster.