Os vagarosos arrastos electrónicos que vão ardendo languidamente no barroco travo burguês de “Ring-A-Ring O’Roses” – o novo tema de Charlotte Gainsbourg para o álbum Rest – já não se estranham nos delicados ambientes retro-futuristas tecidos pela cantora e actriz franco-britânica.

Se em setembro, no tema-título do disco que será lançado no próximo mês, as construções sonoras assentes em teclados que simulam uma espécie de versão digital dos Hammond e que gravitam num som modular quase de pertença exclusiva dos Daft Punk – a canção foi escrita em parecia com Guy-Manuel de Homem-Christo -, já anteviam uma aproximação às regiões limítrofes do seu último registo de estúdio, o novo tema não deixa dúvidas.

IRM de 2010 – o terceiro disco de Gainsbourg produzido com a colaboração de Beck -, transbordava então de sintetizadores algo que a julgar pelas amostras extraídas de Rest se mantém no mesmo registo. Entre o clássico e o sinistro, entre a aristocracia e a tragédia, num limbo romântico entre a década de 60 da chanson française e um hino especial e sci-fi, “Ring-A-Ring O’Roses” eleva Charlotte a uma dimensão que desafia as convenções musicais convencionais e a faz caminhar rumo a um dos discos do ano.

Com a canção, podem também ser vistas algumas imagens do vídeo que se encontra disponível na sua totalidade apenas para assinantes da Apple Music. Rest repousa ainda no segredo dos deuses mas revela-se integralmente no dia 17 de novembro. O quarto disco de Charlotte Gainsbourg será editado pela Because Music.