As quatro amazonas rockers de Manchester, Pins, anunciaram o novo disco para Junho. Wild Nights sucede a Girls Like Us que leva apenas pouco mais de um ano às costas mas que deixou o apetite aberto para mais destruição. Para já temos este “Too Little Too Late” que deixa pouca ou menos que nenhuma margem poética a explorar. A raiva é transparente, a revolta desenganada e terapêutica e visualmente é absolutamente explícito na mensagem apesar do glamour de toda a purpurina cintilante em câmara lenta e do guarda-roupa trazer a etiqueta luxuosa de Yves Saint Laurent. O paradoxo perfeito entre ter classe e o fogo dos infernos nas ventas.

Writing the ‘Too Little Too Late’ lyrics was very cathartic, they spewed out like hot lava from an angry volcano. It is a middle-finger-to-the-world kind of song and the video mirrors that notion. Hell hath no fury like a woman scorned!

Pela amostra de “Too Little Too Late”, Wild Nights dá continuidade à amálgama de rostos rock que espreitam a cada esquina nas canções de Faith Vern (voz/guitarra), Anna Donigan (baixo), Lois Macdonald (guitarra) e Sophie Galpin (bateria). A bateria quase psychotribal, as guitarras entre os sistemas circulatórios do psicadelismo e do noise mais post-punk e a voz que se equilibra entre desinteresse niilístico e a sensualidade abrasiva de uma rock-chick em black-leather jackets e Jack Daniels.

Tal como já tínhamos dito Wild Nights sai em Junho, mais precisamente a 9 com o selo BellaUnion e foi gravado no Rancho De La Luna em Joshua Tree nos Estados Unidos por Dave Catching (QOTSA, Eagles of Death Metal).  “Too Little Too Late” chega em vinil e formato digital em Março.

Wild Nights:

01. Baby Bhangs

02. Young Girls

03. Curse These Dreams

04. Oh Lord

05. Dazed By You

06. Got It Bad

07. Too Little Too Late

08. House of Love

09. If Only

10. Molly

11. Everyone Says

 

alec peterson sig

 

 

 

Pins Cover