Oxímoro, paradoxo, ou simplesmente a vontade de criar algo que não se confine às demarcações pouco flexíveis e muitas vezes mal recebidas pela lógica dos rótulos. Mas já que ela existe, então que a variável “alternativa” da equação seja a arma para subverter o preconceito porventura gerado pela variável “pop” com que se formula este predicado sonoro.

“Fascination Shadow” dos norte-americanos Contact prova que a relação entre as duas variáveis anteriores não se anulam, antes se enriquecem. O rol de influências contidas nas partículas de som destes menos de 5 minutos é bastante vasto e se a linha melódica condutora do tema se desenrola com a ligeireza de uns Paramore a insinuar-se a Ladytron, verdade também que o remate lírico é bastante mais acentuado.

Com álbum de estreia à espreita e pronto para sair, os Contact (re)aprendem as amarras da sua condição como artistas e lançam-se numa aventura genuína que muito lhes fala ao coração. Como nos confessa Sarah Graziani, a vocalista:

This album means a lot to Matt and I because it was a big departure for us when we began the writing process. We had experienced success with other music projects, but felt like we lost touch with who we really were as artists. Where in the past we had been writing this super-structured, very thought-out poppy music, we kind of had to re-learn to follow our instincts and to write from the heart. But it’s been a very rewarding journey and we’re so glad to have rediscovered our old selves again.

Sleepwalk Into The Dark sai a 18 de Setembro pela Doghouse Records.

rosana-rocha-sig