Os Hop Along contam já com dez anos de música, mas apenas em 2008 se juntaram como quarteto oficial e definiram o nome que hoje envergam. Frances Quinlan dá voz aos temas da banda, e toca ainda guitarra; o seu irmão Mark Quinlan encarrega-se da bateria, enquanto Tyler Long e Joe Reinhart tocam baixo e guitarra, respectivamente.

Depois de Get Disowned (2012), a banda natural de Philadelphia, conhecida pelo seu enigmático indie pop a roçar um grunge sempre socorrido pela folk, prepara-se para lançar o segundo disco de originais.

A capacidade vocal única da vocalista do grupo já não nos é desconhecida, mas o seu dom na escrita das canções tem crescido cada vez mais, tornando-a numa das songwriters emergentes do momento. Gravado e misturado por John Agnello (Kurt Ville, Dinosaur Jr, Sonic Youth), o disco promete ter um conjunto de composições onde a guitarra, o baixo e uma enormidade de riffs nos vão dar conta de histórias de despero e amargura. Temos, por um lado, uma homenagem ao post-punk feito nos anos 70 e, simultaneamente, um retrato da música contemporânea.

A banda, que em palco se mostra bastante dedicada e electrizante, começa neste mês um ciclo de concertos onde, em primeiro lugar, terá honras de abrir para os The War On Drugs, seguindo posteriormente em nome próprio e ficando a aguardar a confirmação das datas para os seus concertos no Reino Unido.

Painted Shut sai a 4 de Maio com o selo da independente Saddle Creek Records e “Waitress”, single de apresentação, já se encontra para escuta mais abaixo.

Painted Shut

01.  The Knock
02.  Buddy In The Parade
03.  Horseshoe Crabs
04.  Waitress
05.  Happy To See Me
06.  Texas Funeral
07.  Powerful Man
08.  I Saw My Twin
09.  Well-dressed
10.  Sister Cities

joao fernandes 2