David Ward - Golden Future Time
60%Overall Score

Golden Future Time é, sem efeitos gramaticais ou truques linguísticos, um portal sonoro. Escrito, pensado e gravado para ser ouvido em vinil. Pois, sem mais coisas, é um vinil, venha ele em que formato vier. Dois lados, dois mundos, duas faces do mesmo rosto que se completa.

“Slowly Through The Night”, o tema que abre as postas ao portal, passo a expressão, é um excelente exemplo do que se poderia esperar encontrar ao longo de todo o disco. Um baixo cheio de fuzz, teclados cinemáticos espaciais, uma guitarra que transpira “The Bends” e tudo envolto num ambiente próximo de uns Kasabian. Poderia, mas não pode. Reabre-se o portal e entra Jeff Buckley para se sentar ao lado de Giorgio Moroder numa igreja algures no espaço sideral. Moroder levanta-se e tudo indica que Buckley se vai atirar a “Hallelujah”, mas afinal é apenas mais uma valsa romântica com vista para o Sena, mas visto do espaço. “Be Here” pisca o olho descaradamente a um Stevie Wonder sem funk, mas com o livro das baladas anos 80 bem estudado. Acaba o lado A do vinil que não é.

De repente, entra a correr Michael Jackson para a música que dá nome ao disco, “Golden Future Time”. “Billie Jean”, o quê?! Barco do Amor, o quê?! Wow, do espaço para um cruzeiro no Pacífico. “Bird In The Hands” quase envergonha toda a carreira dos Daft Punk em pouco mais de 3 minutos, e pelo meio ainda se eleva a hino soul com as deambulações psicadélicas da guitarra de Ward e “Fly”, um convite a voar numa belíssima balada soul pigmentada de Pink Floyd. Fica uma pontada de curiosidade em ouvir “Fly” nas mãos de um nome do r&b mais mainstream, só para saber quantos milhões iria vender.

David Ward não brinca em serviço ao requisitar a inspiração das almas maiores da composição de décadas passadas. Se o lado A de Golden Future Time é acid space rock negro de alma, então o lado B é r&b carregado de teclados funk e guitarras disco transformadas pelos mesmos teclados progressivos de Moroder. Se a soul for assim em 2078, é sinal que algo correu muito bem daqui até lá.