O tempo corre lento no interior e na procura por mais que se tropece na pressa de chegar. As procuras pessoais e os conflitos  requerem demasiado autofocus e demasiadas panorâmicas. Mergulhos pessoais e distanciamentos ao que é mais intrínseco e ao que nos faz acreditar que nós somos nós e ao que nos define enquanto seres único e irrepetiveis. Mas todos diferentes todos iguais, não é?

Angel Olsen debruça-se sobre uma análise ambígua e diferente. Chama a si a sua irmã do outro lado do espelho, ela mesma num monólogo de auto-conhecimento e de auto-reconhecimento do hoje e do amanhã. O caminho visto de fora mas com a velocidade de quem esta por dentro. As dualidades são uma constante da vida e Angel assume-se contraditória e feliz nesse papel no novo vídeo para “Sister”.

O novo tema é parte do novo disco, MY WOMAN, que sai já no início de Setembro pela Jagjaguwar e vem com um caminho e um cariz muito bem demarcado. Dividido – como nos tempos da outra senhora –. entre um Lado A e um Lado B, recaindo sobre o lado visível da rodela os temas mais convencionais e com uma estrutura pop/rock e do lado de lá, o b-side of life, os temas mais longos, exploratórios e analíticos. Claramente os quase 9 minutos de “Sister” residem neste lado menos claro de MY WOMAN.

Gravado entre Los Angeles e o Parque Natural de Joshua Tree, o vídeo de “Sister” é o reflexo das dualidades do tema. Depois de ter realizado ela própria os vídeos para “Intern” e de “Shut Up Kiss Me”, Olsen chamou o realizador Conor Hagen para partilhar a câmara e a visão.

’Sister’ addresses conflict within and then moves beyond it. The song is lyrically contradictory, so we wanted to show those opposing dualities. The contrast between a wide shot and a close-up, the duality between the city and that natural world, joy and melancholy. – Conor Hagen

MY WOMAN foi gravado em Portugal durante uma residência de Angel Olsen na Galeria Zé dos Bois em Março deste ano.