As Deap Vally abrem a porta do estúdio a Wayne Coyne e a Steven Drozd dos Flaming Lips e as duas entidades fundem-se num estranho hibrido sonoro. Com o papel principal na primazia do ambiente de cada um dos temas a ser intercalado ao longo de todo o disco, os Dead Lips vão sendo aqui e ali mais Deep e mais Lips nunca deixando de se encontrar a um meio caminho entre o espaço psicadelico unicorniano dos Flaming Lips e o rock puro e simples das Deap Vally de Lindsey Troy e Julie Edwards.

O último álbum dos Lips foi King’s Mouth no ano passado, enquanto as meninas californianas estavam arrCookimnedadas das edições desde Femejism em 2016.