Há seres que têm em si demasiado conteúdo para um só ofício. Caso disso é Matt Mondanile, que remava até 2016 fielmente dois barcos – eram eles os Real Estate e os Ducktails. Este primeiro ficou pelo caminho e Matt tornou-se pato de um só amor centrando-se já há um ano apenas no seu projecto onde assume o posto de timoneiro. E é nesta mesma casa onde já editou cinco discos, que apresenta o próximo álbum que levará o título Jersey Devil e onde também mandam os seus quacks uma série de convidados e amigos como Josh da Costa, Malcolm Perkins, Chi Yoon Hae dos Parasol ou a brasileira radicada em Los Angeles, Samira Winter dos Winter.

Cumprindo o ritual que se tem vindo a verificar, e dois anos depois do seu último álbum, os Ducktails apresentam agora a sua sexta obra discográfica e, para abrir o apetite, o norte-americano apresenta o vídeo para o single de avanço “Map To The Stars”. Esta pode ser uma faixa um tanto divisiva, sendo que encerra de vez o lado experimental e irreverente que temos vindo a experienciar nas fileiras sonoras da banda – ainda que cada vez menos -, dando lugar a uma estrutura pop e orelhuda convencional. Não é necessário que esta canção seja espelho do álbum que está para vir até porque, cumprindo a função de single, não poderíamos esperar uma fórmula muito diferente.

Alcançando facilmente uma transcendência, “Map To The Stars” emana uma nostalgia intensa, como se Mondanile se tivesse instalado no cérebro e nele constassem todas as nossas memórias de infância. Passando por elas uma a uma vai sussurrando-lhes ao ouvido:

 Just look up
Follow your own star
There’s nothing you can’t do.

Preparando um cozinhado bedroom pop, Matt utiliza batidas, guitarras e sintetizadores banhados de reverb e delay, que suscitam imediata e involuntariamente o nome de Mac DeMarco. Tomando a omnipresença total no videoclip, Matt assume a posição de várias personagens, ou de uma mesma em vários momentos da sua vida. Podemos até ver Mondanile assumindo a forma de Deus, descrevendo o mundo dos comuns mortais e aconselhando-os a seguirem os seus sonhos e a acreditarem em si próprios. Um ensino fomentador dito por uma voz seca e ecoante.

Partindo de um primeiro LP homónimo de 2010 mais lo-fi, abstrato, experimental e genuinamente psicadélico, criações posteriores dos Ducktails vão-se metamorfoseando em algo mais estruturado e concreto. No mesmo ano, a banda lança um segundo álbum – Landscapes -, pairando ainda nas terras do dream e hypnagogic pop, que bem que podiam ser bandas sonoras de jogos de vídeo dos anos 80.

Em 2011, 2013 e 2015 Matt lança três álbuns que parecem ir corroborando a ideia de uma desexperimentalização, ecoando cada vez mais o nome dos Real Estate em versos e em refrões redundantes. Com tudo de positivo e negativo que essa viagem estilística acarreta, os Ducktails permanecem como companheiro de eleição para um passeio na praia ao fim da tarde, ou para uma soft trip de ácidos numa casa de campo com amigos. Jersey Devil sairá dia 6 de Outubro pela editora de Mondanile, a New Images.

Jersey Devil

1. Map to the Stars
2. Light a Candle
3. In the Hallway
4. Keeper of the Garden
5. Solitary Star
6. Lover
7. Mannequin
8. Wearing a Mask
9. Shattered Mirror Travel
10. The Rising Sun

Ducktails - Jersey Devil

Ducktails – Jersey Devil