Estava o calendário alojado no mês de Setembro de 2017 quando Manel Cruz subia ao palco do Vodafone Paredes de Coura, numa altura em que o músico se anunciava também como mais um elemento do cartaz do Vodafone Mexefest. Pairava então a promessa do ex-Ornatos Violeta, ex-Foge Foge Bandido (e mais uma série de posições de ex noutros projectos), de um novo álbum, naquela que seria a sua estreia discográfica a solo.

Dois anos depois, Manel atira mais um osso em formato de música e aproveita para dizer que é desta… sim, que é mesmo desta. Depois de vários avanços e recuos, um dos mais importantes e incontornáveis escritores de canções e poemas da história da música portuguesa de todos os tempos lança o tema de apresentação para o novo disco.

“Cães e Ossos” abre assim as movimentações oficiais em direcção ao álbum, que levará o mesmo nome, sendo assim o arranque discográfico da já está extensa carreira a solo do músico de São João da Madeira em cima dos palcos. O tema veste-se de pop experimentalista e folk que recorre a linhas de banjo para se envolver na poesia urbana e analítica sobre a já tão habitual temática, na carreira de Manel Cruz, relação entre o Homem e Deus.

O novo tema sucede a “Ainda Não Acabei” e a “Beija-Flor”, ambas lançadas em 2017. O disco ainda não tem dia marcado mas chega durante o mês de Setembro pela Turbina. Deus é bom… canta Cruz. Desde que o disco esteja mesmo à distância de três meses, nós acreditamos.