O beijo é um dos temas mais inspiradores a todas as artes, e mesmo que boa parte das vezes passe de alguma forma despercebido e não seja assim tantas vezes o personagem principal de objectos criativos, ele anda sempre por perto. Tal como devia andar sempre por perto de todos nós. O Beijo, esse momento especial e essencial ao amor e ao sexo – dizem eles, os que entendem de anatomia e medicina -, liberta uma série de coisas como a dopamina, epinefrina, ocitoncina e endorfina. Tudo coisas que potenciam o prazer, a auto-estima, a imunidade contra doenças e até previnem rugas. Tudo coisa boa, né?

De certeza que tanto Silva como todos os actores que passam pelo vídeo novo do músico de Vitória no estado brasileiro de Espírito Santo, não vão ter grandes rugas e são todos bem felizes. “Beija Eu” é o mais recente tema de Silva Canta Marisa a ganhar vida visual e desenrola-se numa clima de intimidade minimalista a preto e branco onde uma série de gente simplesmente se beija, incluindo o próprio Silva que não se faz rogado e beija vários homens (um deles o músico Arto Lindsay) – e várias mulheres. Simplesmente de língua, de lábios, com dentadinhas sensuais, de forma mais romântica ou de forma a passar de seguida para cenários mais tórridos e com direito a bolinha vermelha… ou não, porque amar é amar, beijar é beijar e os corpos são sempre meros condutores de prazer, de paixão e de felicidade. Esqueçam a bolinha e simplesmente beijem.

Sem limites nem barreiras de género ao longo dos delicados e bonitos momentos do vídeo de “Beija Eu”, um dos clássicos de Marisa Monte revisitados por Silva no disco de Novembro de 2016, o compositor brasileiro dá continuidade ao já polémico “Feliz e Ponto”, onde o poliamor ou uma simples relação casual e ocasional a três era simplesmente aceite como um momento ou uma situação de felicidade… e pronto e ponto, “Beija Eu”.