The Cautionary Tales of Mark Oliver Everett, o décimo primeiro e último registo de estúdio dos norte-americanos Eels, completa em Abril próximo quatro primaveras de rotação, e desde então que pouco ou nada se tem sabido tanto da banda enquanto colectivo como de Mark a solo sob o heterónimo E, com o qual editou dois discos no início da década 90.

Com 2014 a ter sido a última vez que chegaram novidades dos Eels, tanto em formato discográfico como em termos de apresentações ao vivo – e já depois de editada uma belíssima trilogia conceptual assente em Hombre Lobo (2009), Tomorrow Morning (2010) e End Times (2010) -, sentia-se já a falta de uma lírica profundamente poética com a tónica assente nas complexidades desoladoras da vida, do amor e da morte tricotadas num indie rock denso situado bem longe das teias convencionais da música, mesmo no que respeita a territórios alternativos.

Agora, Mr. E indicia um regresso aos discos com a publicação de um teaser video que condensa vários momentos passados da carreira dos Eels com uma ilustração videografada que apresenta um fósforo e uma chama estilizada e uma legenda com as palavras The Deconstruction e uma data que remete para o dia 6 de Abril. Se esta será a data de lançamento de um novo trabalho dos Eels com o título anunciado, por enquanto ainda não é certo. Certo é que os norte-americanos têm uma espécie de regresso anunciado, e com alguma sorte, com música nova e álbum novo, até porque já aparecem em várias plataformas musicais de referência e bases de dados de discos uma nova entrada sob o nome da banda e com referência a um novo LP. Que seja mesmo verdade, we missed you.