Se as paredes falassem, o velho cinema Batalha teria mais uma história para contar: a mais recente edição do Heineken Starlight. Com a organização a cargo do Plano B, a noite expandiu-se entre estrelas, cerveja e muita electrónica. Orelha Negra e Sequin encabeçaram o evento, que contou ainda com Dj Sets de PZ e Best Youth e Live Acts de Roger Plexico e Lasers.

O palco Heineken inaugurou com Sequin, projecto a solo de Ana Miró que encaminhou as sonoridades electrónicas para o cinema Batalha. “Meth Monster” foi o primeiro tema a ecoar perante uma plateia ainda pouco composta mas que acusava uma efervescência festiva. O electro-pop disperso por melodias doces e espectrais, constantemente apoiadas por sintetizadores, seguiram um itinerário desenvolto, simultaneamente reanimador dos anos 80 e cúmplice da tecnologia actual.

Vibrantes e entusiásticos, “Flamingo” e “Naive”, remanescentes de Penelope – longa-duração de 2014 -, convidaram o público a dançar e a acolher as primícias do Verão; no entanto, foram os temas de Eden, o mais recente EP lançado em Fevereiro passado, que sobressaíram no alinhamento. “SVU”, “Ellipse” e “Icecream” marcaram a face mais agridoce e introspectiva da electrónica, em que as palavras exprimiram o seu real sentido por contornos mais sombrios. Guardada para o final, “Physical”, hino de Olivia Newton-John, solicitou movimentos de anca que finalizaram o concerto com nota positiva.

Após uma curta interrupção, o ritmo voltou a fazer-se sentir desta feita pela mão dos Orelha Negra. Início orquestral para uma plateia preenchida, o colectivo lançou-se ao ataque com os ilustres samples acompanhados por melodias destacadas de baixo e bateria. A incidência das luzes sobre a banda parecia abençoá-los das virtudes e prestígios que os apartam dos demais mortais, desdobrando-se por uma pluralidade de estilos onde o hip hop, o jazz, o soul e a electrónica, todos foram convocados.

“21:27” marcou a primeira grande aclamação da noite, enquanto as recentes composições do prometido novo álbum continuavam a alimentar expectativas. Os samples dominaram a actuação, requisitando velhos e novos cânticos do hip hop desde Notorious B.I.G. a Drake ou Kendrick Lamar. Estenderam-se, inclusive, ao enunciado dos agradecimentos e a manifestos de apoio, dispensando a propagação das vozes. “Since You’ve Been Gone”, “Medley” e “M.I.R.I.A.M.” prosseguiram no alinhamento, testificando em estreita comunhão com o público o legado já estabelecido pelo quinteto, enquanto “A Sombra”, segredo desvendado do novo registo e “A Cura” encerraram a actuação, que culminou num final ruidoso acompanhado de um agradecimento colectivo.

Fotogalerias Heineken Starlight

Orelha Negra @ Heineken Starlight no Cinema Batalha

 

Sequin @ Heineken Starlight no Cinema Batalha