O padre voltou, e voltou em força – se bem que se pode dizer que nunca foi embora, de tão constante a presença nos ciclos noticiários de Josh Tillman -, e com ele traz disco novo para apregoar aos convertidos e não só.

Pure Comedy é o nome do terceiro LP de Father John Misty, tão aguardado sucessor de I Love You, Honeybear. E se em 2015 Tillman foi aclamado pelas arrebatadoras canções de amor,de classicismo barroco e maiores que a vida, desta vez a missa é outra. Embora não possamos dizer que a mudança de alvo fosse completamente inesperada, pois basta uma vista de olhos em qualquer entrevista dada por Josh (ou até o infame monólogo a meio de um concerto em Filadélfia) para perceber que Misty não se resume a uma personagem de duas dimensões, não deixa de surpreender a acutilância e sentido de perspetiva que manifesta em “Pure Comedy”, canção-título e primeira amostra do novo trabalho.

Acompanhada por um vídeo creditado a Matthew Daniel Siskin “and everyone in America”, “Pure Comedy” oferece uma reflexão altamente crítica da natureza humana, desde o próprio nascimento até aos padrões de género, indústria farmacêutica, religião e, como não podia deixar de ser, a política.

And they get terribly upset
If you question their sacred texts
Written by woman-hating epileptics

De forma um tanto fatalista, a figura de Donald Trump acaba por ser a mais recorrente no clipe, surgindo entre as ilustrações de Ed Steed (cartunista do The New Yorker responsável pela capa de Pure Comedy, enquanto Father John questiona e aponta o dedo,

Where did they find these goons they elected to rule them?
What makes these clowns they idolize so remarkable?

These mammals are hell-bent on fashioning new gods
So they can go on being godless animals

Mas não só de problemáticas recentes (embora com raízes velhas) se irá fazer a reprimenda. Em “Two Wildly Different Perspectives”, balada esteticamente bela e de produção impecável, a característica que mais ornamenta as relações humanas é também destacada como causa de discórdia. Falamos, obviamente, das diferenças de opinião, responsáveis por guerras, sejam elas militares ou – novamente – políticas, desde o tempo em que algum par de indivíduos se deparou com um par de ideias opostas. Do autor, poucas palavras: “More kids are going to die now thanks to the unbelievably selfish immigration policy of places like Saudi Arabia and the USA.” Não será preciso mais quando se tem canções assim.

Ganha assim mais uma ponta de lança a teoria de que nos encontramos no sopé de uma nova era dourada da música de protesto, no qual Father John Misty poderá ter um papel que há pouco tempo seria inconcebível.

Para além das canções foi também partilhado um documentário parcialmente surreal que incide sobre a gravação do álbum – incluindo alguns dos takes definitivos, assim como no processo de escrita do mesmo. A realização ficou a cargo de Grant James (realizador dos vídeos de “I Love You, Honeybear” e “Funtimes in Babylon”) com a colaboração de Tillman, e podem vê-lo aqui.

Co-produzido pelo próprio Josh Tillman com o colaborador de longa data Jonathan Wilson e gravado em Março de 2016 nos United Recording Studios (outrora conhecidos por Ocean Way Studios, onde gravaram Sinatra, The Beach Boys, entre outros), Pure Comedy é editado a 7 de abril pela Bella Union na Europa e Sub Pop no resto do mundo.