A norte-america Shannon Lay faz canções que dedilham o silêncio, aqueles espaços vazios entre os movimentos pulmonares da área que rodeia o receptor e que incomodam pelo peso. É aí que o eco das guitarras surdas e a voz de menina antiga, escondida do mundo, vivem. São canções para ouvidos sensíveis e atentos, para quem não se esconde do latejar da emoção. Ou como ela mesmo diz em “Always Room”, theres always space for a little more. Há sempre espaço para canções destas e para sentimentos destes.

Quem concorda com a afirmação é Kevin Morby que, depois de dois discos lançados por Shannon – All This Life Goin’ Down em 2016 e a colecção de demos Holy Heartache em 2015 -, a levou consigo para a sua Woodsist, editora fundada por ele para dar guarida a alguns dos mais bonitos e estimulantes fazedores de canções que andam por aí. Quem entrar na casa de Kevin, vai-se cruzar com os seus antigos Woods e também com Anna St. Lois e a sua companheira de banda Meg Duffy com o seu alter-ego, Hand Habits.

Living Water é o primeiro longa-duração de Shannon pela editora de Morby e saiu em Setembro passado. Uma colecção de canções frágeis, quase atemporais, definitivamente de corpo e melodia translúcidos no espaço mas que se veste de detalhes acústicos, por vezes de folk planante, outras vezes de confissões de arestas rudes e provocantes. E é com esse disco que Shannon Lay se estreia em Portugal numa mini-missão de espalhar silêncios folk pelo país em Março. Lisboa, Porto e Setúbal são as cidades a serem convertidas à beleza extrema das cantigas da songwriter californiana. Parece que o sol não aquece da mesma forma por lá. Detalhes das datas em baixo.

A primeira parte é assegurada pelas assombrações folk de April Marmara, o encosto sombrio e lo-fi que Bia Diniz carrega agrilhoado a um negrume em bruto. Ecos de Nico e Patti Smith, ecos roucos de Cowboy Junkies e de Gillian Welsh, uma leitura suja de um livro que Josephine Foster tem vindo a escrever neste milénio. Ainda sem discos, April Marmara – parte da Spring Toast Records -, é um dos nomes mais estimulantes da nova música portuguesa, e vem colecionando palcos e colocando as suas composições numa levedura de som adequada aos sombreados ébrios do seu imaginário estilístico à espera de uma casa em formato de álbum.

22/03 – Lisboa @ Galeria Zé dos Bois
23/03 – Porto @ Maus Hábitos
24/03 – Setúbal @ Casa da Cultura

 

Shannon Lay European Tour 2018

Shannon Lay European Tour 2018