Sabemos que apensado ao nome Frightened Rabbit vem, muito provavelmente e de forma naturalmente intrínseca, uma inmensurável tristeza. Sabemos também que essa infinita tristeza vem traduzida para linguagem emocional nos mais belos harpejos, nos mais delicados acordes e na mais tocante sensibilidade vocal, mensageira de narrativas de dor, arautos da mais inóspita desolação e desencadeadora de processos de catarse e renascimento.

Talvez também por isso os escoceses orientem o calendário com alguns dias de antecedência e avisam os mais sensíveis para o arraso prestes a acontecer no seu compêndio de melancolia confessionária e não raras vezes derrotista, com um teaser que vai colocando socalcos num terreno que ajudam a preparar para a proximidade de (mais) um terramoto emocional.

Condensando uma mensagem aparentemente ecológica e política – algo que tinha sido abordado já em “Fields Of Wheat” e junho passado num tema avulso composto no rescaldo das eleições britânicas ganhas à tangente por Theresa May -, com imagens de tranquilos bairros suburbanos, aviões antigos e vistas aéreas com efeitos estáticos intermitentes a delinear céus, terra e montanhas, o teaser para as novas canções dos Frightened Rabbit (sim, serão supostamente mais que uma, a julgar pela legenda “Ahem… New songs arriving on Friday.” que acompanha o pequeno vídeo), mostra que as novas sonoridades não se afastam um milímetro de todo o cancioneiro passado. E, como habitualmente, serão certamente infinitamente imensas.

Lê também: O manifesto político anti-Theresa May na tristeza folk de “Fields Of Wheat” dos Frightened Rabbit