Embora os Future Islands tenham feito sempre questão de fazer os mistérios que regem o coração uma temática preferida no palco do seu synthpop, o ambiente político actual tem contagiado uma e qualquer obra artística nos dias que correm. “Ran” é precisamente produto da convulsão das últimas semanas em termos líricos, e embora uma expressão de raiva e desilusão, a ambiência romântica new-wave a la Spandau Ballet em conjugação com uma drum-machine tão ostensiva quanto incitadora e empoeirada dá-lhe um charme absolutamente irresistível e pegajoso que tarda em dissipar. Como toda a pop bem feita.

Com disco novo lá para Abril pela 4AD, que se intitulará The Far Field e no qual irá colaborar Debbie Harry dos Blondie, os Future Islands regressam assim pela mão de “Ran” às edições discográficas após Singles de 2014.