Guitarras frenéticas, sonoridades melodiosas, refrões opulentos a reitirar inclinações antológicas num post punk retro modernizado é o que podemos esperar do primeiro longa-duração do quarteto de Toronto. Enquanto não chega Junho, relembramos Drift, o EP de 2013.

 

Related Posts