Guitarras frenéticas, sonoridades melodiosas, refrões opulentos a reitirar inclinações antológicas num post punk retro modernizado é o que podemos esperar do primeiro longa-duração do quarteto de Toronto. Enquanto não chega Junho, relembramos Drift, o EP de 2013.

 

About The Author

globetrotter, infografista frustrada, seinfeldo-dependente, apreciadora de aviões, perfeccionista ocd e com vários títulos académicos em factos irrelevantes.

Related Posts