Não é comum encontrarem-se bandas que consigam entrelaçar o psych e o experimentalismo em estruturas assentes em pequenos elementos electrónicos como os Grizzly Bear o fazem, e é também por isso que os nova-iorquinos são detentores daquele que é, para nós, um dos melhores discos do ano. Estabelecendo relações intrincadas entre os pequenos detalhes orgânicos e digitais que constituem Painted Ruins, o quinto registo de estúdio da banda editado a 18 de agosto, a banda continua paradoxalmente a compor sob uma base melódica relativamente simples, e uma que lhes abre caminho a um leque profundamente diversificado de construções sonoras que dispõem depois em camadas mais ou menos complexas.

Numa altura em que vão tendo na sua agenda apresentações ao vivo pelos Estados Unidos relativamente esporádicas, os Grizzly Bear aproveitaram a estadia em Los Angeles para tocarem no programa Jimmy Kimmel Live! dois temas do último álbum – “Losing All Senses” e “Cut-Out” -, cerca de um mês depois de terem actuado no The Late Show With Stephen Colbert com “Morning Sound”, também parte do alinhamento de Painted Ruins e um dos singles retirados do disco.

Um disco que ganha agora também mais uma produção visual e justamente para “Losing All Senses”. O vídeo capta uma reunião de amigos num restaurante que descamba para uma espiral lynchiana. Os Grizzly Bear aterram em Londres no dia 30 de setembro para a primeira data da sua digressão europeia que durará cerca de um mês e que não passará por Portugal.