Hamilton Leithauser parece não se dar bem com a solidão musical. Depois do adeus provisório por parte dos The Walkmen em 2012 e de I Had a Dream That You Were Mine – disco do ano passado ao lado de Rostam Batmanglij que comprou também um bilhete de ida para fora dos Vampire Weekend em 2016 e que editou já este ano Half-Light -, volta agora com “Heartstruck (Wild Hunger)”, uma nova música ao lado de nova companhia, deixando desde já aberta a discussão sobre um possível sucessor ao trabalho efectivamente a solo lançado em 2014 e que dá pelo nome de Black Hours.

Desta vez, Leithauser envolve-se numa enorme canção de amor teatral, intemporal e emotiva em versão máquina do tempo, digna de ser pensada para as festas de high school em salões enfeitados de dourados, com a mesa de ponche ao fundo e os meninos de um lado e as meninas do outro. Bem-vindos aos anos 50 mais anos 50 possíveis. Quem melhor para fazer o papel de donzela de ponytail e saia rodada e dar voz a “Heartstruck (Wild Hunger)” que Angel Olsen e o seu vibratto? Exacto, Hamilton Leithauser pensou o mesmo e explica:

I thought ‘Wild Hunger’ should be delivered with huge passion and energy, and I needed a fierce and booming voice as a counterbalance. Luckily, I got my first choice: Angel Olsen.

This song is about catching yourself off guard when an emotion hits a little harder than you were ready for. It’s a desperate and funny situation. The desperation can be a little bit ridiculous, which can be a little bit funny, but it’s also desperate, so it’s agonizing.

Angel Olsen anunciou há pouco tempo o lançamento de Phases, uma recolha de raridades e inéditos do qual já são conhecidos “Special” e “Fly On Your Wall”.