Quinta-feira à noite a magia das melodias e das máquinas sem moldura sobe a Alfama. Hannah Epperson e Paper Beat Scissors embrenham-se nas ruas que cheiram a fado para um sessão de doces vanguardismos e confissões sussurradas ao ouvido mais uma vez pela mão mágica da Nariz Entupido que nos vem presenteando com serões inesquecíveis de nomes como Alasdair Roberts, Haruko, Kimya Dawson, Chris Garneau ou Vincent Von Flieger.

Hannah Epperson é uma entidade que vive dentro de um mundo muito próprio habitado por raros seres que de tempos a tempos rasgam as cortinas dos mundos paralelos e nos maravilham com canções sobrehumanas. Hannah é uma criatura dessas, parente próxima de Colleen, de Hildur Guðnadóttir, de Rachel Grimes dos Rachel’s ou de Múm.

Um violino, um loop pedal e a sua voz são os instrumentos mais que suficientes para tecer pedaços de paisagens e de tépidas manhã de som. A essência humana, as suas perfeições e as suas tristes mardas definidoras do ser são parte integrante e basilar das composições da norte-americana que se prepara para lançar //upsweep.

Não sendo suficiente a companhia ao serão de Hanna ainda teremos o privilégio de contar com as histórias de Tim Crabtree encarnando o seu papel preferido, o de Paper Beat Scissors. Um veículo de song-writing em constante alteração vibracional mas sempre com uma sinceridade e honestidade na escrita latente em cada palavra, em cada acorde, em cada linha melódica. Desde a intimidade do disco homónimo onde as guitarras – por mais cândidas que fossem – tomavam a liderança indo além da folk e entrando pelos campos de ecos do rock norte-americano de Mark Kozelek, Mercury Rev e American Football até aos dias de hoje a evolução de Crabtree, mesmo mantendo-se fiel a sua escola college-rock intimista, é notória. O rock encantatório do novo disco Go On recebe a visita frequente de electrónicas desajustadas e felizes.

Tudo para ver, ouvir e sonhar no Clube Lusitano em Alfama, ​Rua de São João da Praça, 81.

Hannah toca ainda no Auditó​rio de Espinho no dia seguinte enquanto Paper Beat Scissor tem a agenda mais preenchida e toca na quarta feira na Casa de Pantopeia em Aveiro, sobe ao Porto a dia 12 ao O Meu Mercedes, avança até Vila Real para o Club de Vila Real e acaba no dia seguinte em Évora na Oficina.