É franco-marroquina, atriz, cantora, multi-instrumentalista e uma pura autodidacta. Abandonando a escola de Marrocos aos 15 anos para ir viver para Paris com pai, onde começou a trabalhar no Louvre enquanto escrevia as primeiras canções, Hindi Zahra desde cedo que tem preparado o seu autêntico melting pot de jazz, tango, soul e uma outra míriade de acessos musicais. Vem ao Misty Fest a 5 de novembro para uma actuação no Grande Auditório da Gulbenkian.

Dotada de um enorme calor tanto na sua voz como nos arranjos que a rodeiam, Zahra consegue ser simultaneamente cortante e éterea como suja e terrena. Há grão e terra no seu som, que igualmente sabe ser nocturno e arrojado, já a sua voz denota uma maturidade que à idade de 37 anos, parece estar reservada só a um selectivo rol de artistas. Leva apenas dois álbuns no currículo desde 2010, mas há já uma sublime e elegante experiência de palco que certamente virá aquecer o mês de novembro aquando o seu regresso ao país.

Entretanto, Rodrigo Leão e Scott Matthew (que partilharão o palco), Piers Faccini, Enrico Rava, Wim Mertens, entre outros, serão seus companheiros de alinhamento na próxima edição do Misty Fest a acontecer nos dias 1 e 13 de novembro. As grandes novidades referem-se ao alargamento geográfico de um em sempre crescimento festival: Leiria, Torres Novas e Évora juntam-se a Lisboa, Braga, Espinho, Coimbra e Porto com as salas onde acontecerão os eventos ainda por anunciar em breve, juntamente com o restante cartaz.